Oi gente, tudo bem? Recebi um e-mail recentemente da Peta dizendo: Victoria’s Secret vai começar com os testes cruéis em animais para vender seus produtos de beleza na China.
Como eu já disse Neste Post, é obrigatório por lei testar em animais para vender cosméticos na China!

É sempre bom uma empresa como a Peta falar isso no site, por e-mail e repassar isso para vocês aqui no blog, Facebook, Instagram… Existem muitas meninas que ainda duvidam das coisas que eu falo, um exemplo que eu dou é a Mary Kay, a marca vive dizendo que não testa em animais, mas vende na China! Só pra rir mesmo….

Deixei em negrito as coisas mais importantes do texto traduzido em português…

Victoria’s Dirty Secret: Paying for Cruel Tests on Animals in China

Victoria's Secret vai Pagar por Testes Cruéis em Animais na China 1

Inglês:
Victoria has a new little secret: She’s no “angel” for animals. After years of upholding its policy never to test on animals, the company has let down compassionate consumers everywhere by choosing profits over principles. Victoria’s Secret has confirmed to PETA that it will begin selling in China—and that means it will be required to pay for cruel and archaic tests on animals. Although the company, owned by L Brands, Inc., fully understands the Chinese government’s requirements for tests on animals for cosmetics, it has chosen to enter this market anyway. Victoria’s Secret has been removed from PETA’s list of companies that don’t test on animals and has been placed on our list of companies that do test on animals. (However, L Brands’ other companies, including Bath & Body Works, Henri Bendel, and La Senza, are not expanding into China and remain committed to their cruelty-free policies.)

Tradução:
Victoria tem um novo pequeno segredo: Ela não é “anjo” para os animais. Depois de anos de defender a sua política que nunca iriam testar em animais, a empresa da a má noticia aos consumidores compassivos em todos os lugares, escolhendo os lucros sobre princípios. Victoria’s Secret confirmou a PETA que começará a vender na China, e isso significa que ela (a marca) vai ser obrigada a fazer testes cruéis e arcaicos em animais. Embora a empresa, de propriedade de L Brands, Inc., entende plenamente as necessidades do governo chinês com os testes em animais para cosméticos, escolheu entrar neste mercado de qualquer maneira. Victoria’s Secret foi removido da lista de empresas que não testam em animais e foi colocado em nossa lista de empresas que fazem testes em animais da PETA. No entanto, outras empresas L Brands, incluindo Bath & Body Works, Henri Bendel, e La Senza, não estão em expansão na China e continuamos comprometidos com suas políticas livres de crueldade.)

Victoria's Secret vai Pagar por Testes Cruéis em Animais na China 2

Inglês:
Since PETA first exposed that some formerly cruelty-free companies were paying for tests on animals in order to sell their products in China, tens of thousands of compassionate consumers have spoken out and expressed their outrage. Fortunately, PETA has received pledges from a number of companies—including The Body Shop, Urban Decay, NYX Cosmetics, Yes To Inc., Jack Black, Paula’s Choice, 100% Pure, Jane Iredale, and others—that they will never sell in China while animal tests are required. We’ve also worked to convince companies selling in China to withdraw from that market until tests on animals are no longer required. These companies include John Paul Mitchell Systems, Dermalogica, Pangea Organics, Nature’s Gate, Juice Beauty, and LOGOCOS Naturkosmetik AG.

Tradução:
Depois que a PETA expôs pela primeira vez que algumas empresas livres de crueldade começaram com os testes em animais, a fim de vender seus produtos na China, dezenas de milhares de consumidores compassivos falaram e manifestaram a sua indignação. Felizmente, a PETA recebeu promessas de uma série de empresas incluindo The Body Shop, Urban Decay, NYX Cosmetics,Yes To Inc., Jack Black, Paula’s Choice, 100% Pure, Jane Iredale, e outros, que nunca iram vender em China enquanto são necessários testes em animais. Também trabalhamos para convencer as empresas que vendem na China para se retirarem desse mercado até que os testes em animais não são mais necessários. Estas empresas incluem John Paul Mitchell Systems, Dermalogica, Pangea Organics, Portão da Natureza, Juice Beauty, e LOGOCOS Naturkosmetik AG.

Victoria's Secret vai Pagar por Testes Cruéis em Animais na China 3

Inglês:
Please tell Victoria’s Secret that cruelty isn’t sexy and that you won’t buy its products until the company is 100 percent cruelty-free again.

Tradução:
Por favor, diga Victoria’s Secret que a crueldade não é sexy e que você não vai comprar seus produtos até que a empresa for 100 % livre de crueldade novamente.

__________

Lembrando: Deixei em negrito as coisas mais importantes…

Entrem no Post / Site da Peta e ajudem mandando e-mails para as marcas que testam em animais, inclusive a Victoria’s Secret!!!

Sei que não tem nada de legal neste post, muito pelo contrário, mas ajudem na divulgação, pois quanto mais pessoas souberem, mais força teremos!!! Os animais agradecem, eles sofrem muito e tudo por dinheiro! Ok?

Deixe seu comentário! Divulgue e ajude!

Mil beijos, amo vocês!

Comente aqui

Quem nunca comeu as Massas ou Molhos da Barilla? Para quem não sabe a Barilla testa em animais para fins alimentícios. A Peta me enviou um e-mail semana passada falando sobre este assunto. Eles estão conversando com a marca sobre acabar com os testes.

A marca Barilla está mudando o seu conceito! Não quer mais testar em animais, pagar para terceiros fazerem isso ou coisa do tipo. Veja a notícia que a Peta me enviou e a tradução em baixo:

Notícia Empresa Barilla quer acabar com os Testes em Animais 3

“Dear Nicole,

I have exciting news to share from the frontlines of our work with industry-leading corporations to end experiments on animals. Following discussions with PETA, Barilla—the world’s largest pasta company—has issued a comprehensive new policy banning tests on animals for its products and their ingredients.

The policy, which the company has posted on their website and will distribute to all its scientific partners, reads, in part:

At Barilla we do not test our products or raw materials on animals, nor do we fund, commission, co-author it or otherwise support it, either directly or through third parties. … We insist that our suppliers use alternatives to animal testing methods. … We are committed to publishing and sharing any new research that uses alternatives to animal testing. We will be continuously collaborating with third parties to put in place new non-animal-alternative testing methods.

Barilla—which has a robust research and development program—previously conducted a very limited number of experiments on animals to assess ingredients’ health claims on the advice of outside collaborators.

By now agreeing to ban tests on animals and pledging to work with PETA and others to develop and share non-animal testing methods, Barilla is a role model for other food and beverage companies that are still conducting tests on animals even though more humane and accurate methods are available.

Barilla joins a growing list of companies—including PepsiCo, Coca-Cola, Ito En, Welch’s, Lipton, and Ocean Spray—that have worked with PETA to reduce and replace experiments on animals.

It’s easier than ever to shop cruelty-free, whether in the supermarket or for personal-care and household products. Find out which companies test on animals, download the cruelty-free shopping app, get coupons, and learn more here.

Thank you for all you do for animals!

Sincerely,”

Notícia Empresa Barilla quer acabar com os Testes em Animais 1

Tradução Google e eu:

“Querida Nicole,

Tenho notícias emocionantes para compartilhar sobre o nosso trabalho contra os testes em animais com empresas líderes do mercado. Após discussões com a PETA, a Barilla emitiu uma nova política global proibindo testes em animais para os seus produtos e seus ingredientes.

A política, que a empresa tem publicado em seu site e vai distribuir a todos os seus parceiros científicos:

Nós não vamos testar nossos produtos ou matérias primas em animais, nem nós fundo, comissão, co-autor ou outra forma de apoio, seja diretamente ou através de terceiros. …

Nós insistimos que os nossos fornecedores usem alternativas para os métodos de experimentação animal. … Estamos comprometidos com a publicação e compartilhamento de qualquer nova pesquisa que utiliza alternativas à experimentação animal. Nós estaremos continuamente colaboram com terceiros para pôr em prática novos métodos de ensaio não-animais alternativa.

Barilla-que tem uma robusta pesquisa e desenvolvimento de programas-anteriormente realizado um número muito limitado de experiências em animais para avaliar reivindicações de saúde dos ingredientes no conselho de colaboradores externos.

Concordou até agora em proibir os ensaios em animais e comprometendo-se a trabalhar com a PETA e outros para desenvolver e partilhar métodos de ensaio que não envolvam animais, Barilla é um modelo para outras empresas de alimentos e bebidas que ainda estão realizando testes em animais, embora mais humano e preciso métodos estão disponíveis.

Barilla se junta a uma lista crescente de empresas, incluindo-PepsiCo, Coca-Cola, Ito En, Welch, Lipton, e Ocean Spray-que têm trabalhado com a PETA para reduzir e substituir a experimentação em animais.

Está mais fácil do que nunca, fazer compras livres de crueldade, seja no supermercado ou para cuidados pessoais e produtos domésticos. Saiba quais as empresas de teste em animais, baixar o aplicativo de compras livre de crueldade, obter cupons, e aprender mais aqui.

Obrigado por tudo que você faz para os animais!

Atenciosamente,”
______

Fiquei muito feliz com a notícia! Não necessitamos mais testar em animais, com uma empresa grande dando esta notícia, outras podem se inspirar e fazer o mesmo.

Chega de maus tratos em animais!

Caso tenha alguma dúvida, sugestão ou crítica, deixe nos comentários! Vou amar!

Mil beijos e amo vocês!

Comente aqui

Grupos de proteção animal se unem para uma proibição efetiva de testes em animais para cosméticos em todo o território nacional

A campanha #LibertesedaCrueldade e grupos parceiros enfatizam que o projeto de lei federal é falho e precisa ser melhorado

Notícias sobre Testes em Animais no Brasil, PLC 70:2014 #LibertesedaCrueldade

BRASILIA (7 de Julho de 2015) Os principais grupos de proteção animal do Brasil reiteraram sua preocupação de que o PLC 70/2014 não irá proibir testes em animais para cosméticos no país, a não ser que seja alterado pelo Senado para garantir uma proibição verdadeira. Os grupos, incluindo ARCA Brasil, VEDDAS, o Fórum Nacional de Proteção e Defesa Animal e a campanha da Humane Society International #LibertesedaCrueldade no Brasil, escreveram uma carta pedindo a urgente alteração do PLC 70/2014 ao senador Cristovam Buarque, relator do projeto. A carta diz:

“uma série de métodos alternativos ‒ muito mais confiáveis do que testes em animais ‒ foram desenvolvidos e validados para avaliar os tipos mais comuns de toxicidade de produtos cosméticos, tais como irritação cutânea e ocular. Esses são os resultados de proibições incondicionais que vêm se espalhando por todo o mundo: na União Europeia, Israel, Índia e Nova Zelândia. Essas leis têm proporcionado o incentivo necessário para que o setor de cosméticos invista em novas tecnologias. Tal incentivo está ausente no PLC 70/2014.”

“Nós pedimos ao nobre Senador que altere o PLC 70/2014, de modo que a proibição de testes de cosméticos em animais inclua não só os produtos acabados, mas também seus ingredientes, em toda a cadeia de produção. (…) Nós não acreditamos que, enquanto o resto do mundo avança, o povo brasileiro vá se contentar com uma legislação de segunda categoria.”

Notícias sobre Testes em Animais no Brasil, PLC 70:2014 #LibertesedaCrueldade 1

Em 2014, São Paulo tornou-se o primeiro estado a implementar uma proibição total de testes em animais para cosméticos, seguido do estado de Mato Grosso do Sul. Legislações semelhantes estão sendo discutidas nos estados de Goiás, Pará, Pernambuco e Paraná. Se o projeto de lei federal for aprovado sem alterações, colocará em risco todas essas legislações estaduais. O deputado estadual Feliciano Filho liderou a proibição de São Paulo em 2014 e disse: “Depois da aprovação da minha Lei Antitestes em São Paulo, copiada no Mato Grosso do Sul, tenho ciência de que ainda há um longo caminho a percorrer, com muita luta, para que possamos ver essa realidade acontecer a nível nacional. É essencial que um projeto com penas duras como as destas leis estaduais, ou até mais, seja aprovado também no Congresso Nacional. Com certeza estaremos todos irmanados para que essa proibição seja realmente efetivada o mais breve possível, pois existem milhões de animais, neste momento, sofrendo com os testes.”

Antoniana Ottoni, assessora legislativa da campanha #LibertesedaCrueldade da HSI, disse: “São Paulo tornou-se um estado pioneiro promulgando políticas progressivas, favoráveis aos animais, tais como a proibição de testes em animais para cosméticos. E nós estamos satisfeitos por ver outros estados brasileiros seguindo essa tendência. No entanto, é vital que o projeto de lei federal de proibição de testes em animais para cosméticos esteja alinhado com as proibições eficientes que estão acontecendo dentro e fora do Brasil. Neste momento, o texto presente no projeto de lei apenas propõe a proibição de testes em animais para os produtos cosméticos acabados, que raramente ocorrem no Brasil, não proibindo testes em animais para os ingredientes, que representam a maioria dos testes em animais no setor cosmético. Na verdade, o projeto de lei, como está, é uma proibição que nada proíbe”.

Notícias sobre Testes em Animais no Brasil, PLC 70:2014 #LibertesedaCrueldade 2

São Paulo está liderando o caminho do Brasil no que se refere a leis protetoras dos animais ‒ além da proibição de testes em animais para cosméticos em 2014, também introduziu, recentemente, uma proibição da produção e venda de peles e de foie gras.

Representantes de mais de 100 grupos de proteção animal de São Paulo e outros estados brasileiros assinaram a carta para o senador Buarque, pedindo a urgente alteração do PLC 70/2014.

Os testes em animais para produtos cosméticos foram proibidos em toda a União Europeia, Noruega, Israel, Índia e Nova Zelândia. Proibições similares foram propostas na Austrália, Canadá, Taiwan e EUA.

Leia o documento da #LibertesedaCrueldade Brasil sobre por que o PLC 70/2014 deve ser alterado aqui: http://www.hsi.org/assets/pdfs/fabulasefatos.pdf

______

Post sobre Novidades sobre Testes em Animais nos EUA

______

Bom galera, tudo o que está escrito aqui neste post chegou por e-mail. Não editei ou escrevi algo.
As imagens foram tiradas da internet, pois o e0mail veio sem fotos ou coisa do tipo.

Espero que os testes em animais acabem no Brasil e no mundo inteiro.

CHEGA DE SOFRIMENTO! AJUDEM! COMPARTILHEM! 

Não comprem produtos de marcas que testam em animais!

Mil beijos, amo vocês!

Comente aqui

perfil

Nicole Make

Maquiadora profissional, vegana, protetora dos animais, gaúcha, mora em São Paulo.

Quer ficar por dentro das novidades?
Coloque seu email aqui :)